Documentação Técnica

Documentação Técnica
* Engenharia de Dragagem, Sinalização Náutica, Batimetria, Projetos de Canais Navegáveis, Meio Ambiente, Cartas Náuticas, Software de Navegação, Topografia Básica e outros assuntos técnicos.

* Os leitores poderão ter acesso e fazer download do material na parte inferior desta página.

Rio Grande - Aprofundamento e Expansão dos Molhes

Está prevista para o primeiro semestre deste ano a finalização da expansão dos molhes e da dragagem de aprofundamento no Porto de Rio Grande, obras ques estão sendo executadas por diversas empresas contratadas pela Secretaria Especial de Portos/Presidência da República - Odebrecht, Jan Nul do Brasil, CBPO Engenharia, Christiani Nielsen Engenharia, Ivai Engenharia de Obras e outras.

De acordo com a SEP, cerca de 80% do prolongamento dos molhes está concluído - faltam 80 metros no molhe oeste (Cassino), e 100 metros no molhe leste (São José do Norte).  O molhe leste passará a ter 4.600 metros, e o molhe oeste contará com 3.860 metros de extensão.

Molhes do Porto de Rio Grande (Foto: Odebrecht)

 O prazo estabelecido pela Secretaria Especial de Portos para a conclusão das obras termina em abril deste ano, mas o mau tempo causou diversas interrupções nos serviços, principalmente as chuvas no período setembro/dezembro do ano passado. Ainda assim, em razão da adoção de um regime de trabalho de 24 horas por dia, o cronograma fixado pela SEP deverá ser cumprido.

A ampliação dos molhes representa um investimento do governo federal da ordem de R$ 445 milhões, e envolve a operação de sete guindastes (100/230 toneladas) e 560 postos de trabalho (diretos/indiretos).

O prolongamento decorre do aprofundamento do canal de acesso, pois sem tal medida a nova taxa de assoreamento dificultaria a manutenção do novo calado, que permitirá ao porto riograndino tornar-se um "hub port" (porto concentrador de cargas) no âmbito do Mercosul.

A dragagem de aprofundamento do canal interno (14/16 metros) foi concluída, e agora as operações estão concentradas no canal externo aos molhes, que será aprofundado de 14 metros para 18 metros. Para fins contratuais e de  oficialização do novo calado junto à Marinha do Brasil, os resultados da dragagem no canal interno seráo objeto de verificação pelos técnicos da SEP (batimetria).

O investimento do governo federal na dragagem de aprofundamento no Porto de Rio Grande é de R$ 196 milhões, e envolverá a remoção de 18 milhões de metros cúbicos de material de fundo do cnal de acesso e bacias portuárias.

Para manter a novo calado é necessário dragar 2,5 milhões de metros cúbicos por ano, segundo estimativa dos técnicos do porto riograndino, o que não representa muita coisa em comparação com o volume de dragagem anual no porto de Buenos Ayres, por exemplo, que é da ordem de 25/30 milhões de metros cúbicos ao ano, segundo afirmam as empresas de dragagem.
Em razão das novas profundidades, os navios pós-panamax que operam em Rio Grande poderão aproveitar sua capacidade máxima de carga, permitindo a redução de custos (fretes), e o porto riograndino poderá ampliar sua "hinterlândia", área de influência na captação de cargas - (Argentina, Paraguai, Bolívia, Mato Grosso do Sul, Bolívia, Uruguai, Argentina, Uruguai e Paraguai).

O porto de Rio Grande poderá atender navios graneleiros com capacidade de 60 mil toneladas até 200 mil toneladas, e os navios porta-contêineres com capacidade de 6 mil TEUs.

Draga Juan Sebastián de Elcano (Foto: popa.com.br)

Os investimentos do governo federal no porto riograndino, incluindo a construção de cascos FPOS contratados pela Petrobrás no polo naval de Rio Grande, permitirão uma verdadeira mudança estrutural na zona sul e no resto do Estado, propocionando maior desenvolvimento econômico e social.

Postado por Hermes Vargas dos Santos
Fonte: Jornal do Comércio (Caderno de Logística)

Nenhum comentário:

Postar um comentário